Líderes de localização

Líderes de localização: Conheça Cecilia Maldonado

Líderes de localização

Líderes de localização: Conheça Cecilia Maldonado

Na série Líderes de Localização da BLEND, todos os meses nos reunimos com líderes de setor que estão abrindo caminho para avanços na localização por meio de seu trabalho. Para a primeira postagem da série, conversamos com Cecilia Maldonado, diretora de Contas Estratégicas da Latamways e recentemente nomeada Presidente da Women in Localization.

Pode nos contar sobre sua experiência no setor de idiomas e como você começou nesse campo?

Minha experiência sempre foi no setor de tradução e sempre fui minha própria chefe. Comecei minha própria empresa em 1999, logo que me formei na Universidade Nacional de Córdoba (Argentina), onde estudei por cinco anos para me graduar como tradutora certificada de inglês. Na época, o futuro para tradutores no país não era muito brilhante, então meus sócios e eu começamos a procurar fora da Argentina. Descobrimos uma situação completamente diferente em termos de oportunidades e tecnologia! Começamos a exportar nossos serviços de tradução, em vez de esperar a abertura de oportunidades na Argentina, e foi assim que realmente comecei neste setor.

Você começou sua própria empresa. Conte-nos um pouco sobre como isso aconteceu e qual tem sido sua função ao longo dos anos. 

Na verdade, eu comecei três empresas. Minha primeira empresa se chamava IMW Translation & Training, que depois se tornou a IMTT. Nesta época, nós começamos a viajar e buscar oportunidades profissionais no exterior. Cerca de 10 anos depois, os sócios da IMTT decidiram seguir caminhos separados e eu fundei a SpeakLatam, com o incrível apoio de dois funcionários importantes da IMTT. Um deles hoje é sócio da Latamways.

O setor na Argentina está tão fragmentado que comecei a pensar em juntar forças com outras pequenas empresas, assim teríamos uma chance melhor de disputar no mercado. Comecei a jogar essa ideia para colegas, e uma deles, Agustina, da Two Ways Translations, ouviu. As conversas, preparação, negociações e consultoria levaram cerca de um ano inteiro, antes de estarmos prontos para a fusão que deu origem à  Latamways.  

Como você se envolveu com a Women in Localization?

Eu sempre me envolvi com as diferentes organizações do setor e até tive um papel ativo no desenvolvimento da indústria local. Estive envolvido na organização da primeira conferência de tradução e interpretação em Córdoba e fui co-fundadora da Translated na Argentina. Nossos eventos de gestão de fornecedores e Think Latin America foram realizados no Brasil, México, Dublin, EUA e quase no Egito (tivemos que cancelar devido a conflitos locais). Fui presidente de várias conferências, incluindo da “Translated in Argentina” e da ALC Annual Conference and Unconference.  

Quanto a como comecei a trabalhar como voluntária na Women in Localization, há alguns anos uma amiga de longa data do setor me convidou para participar de seu programa sob a liderança de um dos co-fundadores da WL, e eu adorei a experiência. De voluntária no programa Chapters, passei a funcionária como Geo Gerente para as Américas, a diretora do programa e, em seguida, entrei para o conselho administrativo, onde primeiro fui eleita VP e depois Presidente. 

Como o papel das mulheres na liderança mudou no setor de localização ao longo dos anos? 

Em geral, o setor de tradução é liderada por mulheres. O que tenho visto cada vez mais são mulheres querendo cargos de liderança e se esforçando para consegui-los. Nosso trabalho na Women in Localization é garantir que as mulheres que desejam assumir essas funções estejam preparadas. Fazemos isso gerando cargos na organização que permitem que as mulheres exerçam e aprimorem suas habilidades de liderança. Criamos oportunidades para que elas sejam orientadas, formem conexões com líderes importantes do setor e aprendam com eles e talvez até mesmo consigam empregos com essas conexões.

Cecilia Maldonado Presidente da Women in Localization

Em algum momento, todo esse trabalho fará a diferença. Veremos mais mulheres em conselhos administrativos e em posições de liderança em todo o mundo, em diferentes setores. Infelizmente, o mundo dos negócios continua sendo dominado por homens, por isso precisamos continuar a trabalhar para que isso mude. Não se trata apenas de não haver oportunidades suficientes para as mulheres assumirem papéis de liderança, trata-se de estar preparada para lutar por esses papéis.

Por que você acha que o setor de tradução na Argentina é liderado por mulheres? 

Vamos colocar desta forma – quando decidi estudar tradução, meu pai perguntou: “E o que mais?” Na Argentina, se formar neste curso leva 5 anos, ele não é curto nem fácil.  Mas a pergunta do meu pai dá uma ideia de como a tradução, e mesmo os estudos de línguas em geral, eram vistos como um caminho para um futuro incerto. A Argentina não é um país diversificado e, portanto, as necessidades para serviços como esse são escassas. Ensinar inglês, no entanto, sempre foi visto como um ótimo trabalho para mulheres, pois permite que as “mães” trabalhem meio expediente.

Quando me formei, ganhar a vida como tradutor na Argentina era algo inédito. Lembro-me, até hoje, do meu primeiro dia na Universidade quando uma das professoras, durante seu discurso de boas-vindas, disse: “se você quer ganhar dinheiro com traduções, esqueça. Procure outra coisa para estudar.”  Mas, como com qualquer coisa que você decida estudar, é tudo uma questão de esforço e de sua paixão em querer mudar as coisas. Hoje, 20 anos depois, com a crescente prevalência e importância da tradução para o espanhol, a Argentina desempenha um papel fundamental em nosso setor, pois “é o mercado preferido para terceirização e um dos maiores empregadores de talentos”, afirma Nimdzi em seu relatório ““The Argentinian LSP landscape”. (O Cenário do PSL argentino)“.  

Cecilia Maldonado fundadora da Latamways BLEND

Que conselho você daria às pessoas do setor de localização que buscam obter cargos de liderança e progredir em suas carreiras? 

Crie relacionamentos significativos, seja visível e tenha um papel ativo na indústria. Saia da sua zona de conforto, do seu grupo regular de colegas, para obter uma perspectiva diferente. Isso pode tão esclarecedor e enriquecedor!  

Baseado em minha própria experiência, eu acrescentaria assumir riscos, não ter medo de mudar suas circunstâncias e ser ousado. Use todas as experiências que tiver para aprender e esteja sempre pronto. Encontre pessoas em quem você confia e peça conselhos, referências e sugestões.

entrevista da presidente da Woman in Localization com a BLEND

Em homenagem ao Mês da História da Mulher e ao Dia Internacional da Mulher, o que mais você pode nos dizer sobre a Woman in Localization? Como alguém interessado pode se envolver?

Women in Localization é uma organização incrível que oferece benefícios tanto para voluntários quanto para membros: programas de orientação, treinamento, contatos sociais, conteúdo exclusivo e muito mais.

Se você busca um papel ativo, estamos sempre buscando voluntários! Somos uma organização realmente internacional, com 28 divisões em 20 países diferentes, 9 programas, mais de 5.000 membros, mais de 17 mil conexões no LinkedIn e produzimos mais de 100 eventos por ano. 

Pronto para dar os primeiros passos com a localização?
iniciar

You may also enjoy

Entre em contato

Quer incorporar sua presença em novos mercados mundiais de forma nativa? Fale com um representante hoje e discuta o BLEND perfeito de serviços de localização.