Sustentabilidade e localização de E-commerce
Tendências do setor

A mais nova moda: Sustentabilidade e localização de E-commerce

Tendências do setor

A mais nova moda: Sustentabilidade e localização de E-commerce

Independente de qual seja o seu setor, este ano tem sido difícil. Para alguns setores, a vida vai voltar aos negócios como normalmente. Mas outros ainda estão se empenhando e aprendendo a se ajustar a um mundo que nunca voltará a ser exatamente normal. No setor de varejo, e especialmente para as marcas de moda, a pandemia provavelmente deixará sua marca, já que as pessoas em todo o mundo mudaram seus hábitos de estocar roupas. Felizmente, as marcas de roupas de varejo capazes de ajustar suas mentalidades de acordo serão capazes de prosperar neste novo mundo.

Redução de orçamentos e opções de crescimento

Desde que a Covid-19 começou a se espalhar, pessoas em todos os lugares estão gastando menos com coisas não essenciais. Isso significa que marcas de artigos de luxo, em particular, estão sofrendo. Em parte, é simplesmente porque as pessoas estão com menos dinheiro para gastar. As taxas de desemprego subiram e a confiança do consumidor caiu.

Ao mesmo tempo, passar todo esse tempo extra em casa convenceu as pessoas a minimizar a quantidade de coisas que possuem. Algumas pessoas assaram pão, algumas aprenderam a tricotar e outras doaram seus excessos. No Reino Unido, por exemplo, duas em cada cinco famílias eliminaram tralhas acumuladas. Isso resultou em um grande aumento das opções disponíveis para compradores em lojas de segunda mão e em sites como o Vinted e o eBay. Comparando 2020 com 2018, o eBay vendeu mais de mil por cento a mais de itens usados e quase 200 mil por cento a mais de roupas de grife usadas. 

Promovendo empresas locais

Quando aparecem problemas, as comunidades se unem. Lojas pequenas de varejo sofreram muito neste ano e, em resposta, consumidores têm se esforçado mais conscientemente para comprar localmente. Enquanto por um lado as pessoas estão comprando mais on-line, também desejam apoiar seus vizinhos e as economias locais..

Reservando um tempo para pensar de maneira sustentável

Não é nenhum segredo que a moda rápida – roupas baratas que são substituídas rapidamente – impactam terrivelmente o ambiente. Os efeitos negativos da indústria da moda sobre o meio ambiente incluem aterros sanitários cheios de roupas quase novas, oceanos cheios de microplásticos liberados de materiais sintéticos, 20% da poluição industrial da água do mundo e 10% das emissões de carbono do mundo.

Roupas baratas também têm um custo mais direto para os trabalhadores que as produzem, que tem se destacado pelas dificuldades por que passaram este ano. Por exemplo, logo no início da pandemia, as empresas de moda cancelaram bilhões de dólares em pedidos que já estavam em produção. Em países como Bangladesh, onde mais de 4 milhões de pessoas trabalham por salários ínfimos no setor de vestuário, esses cancelamentos foram suficientes para desencadear uma crise humanitária além da própria pandemia.

sustentabilidade na moda de artigos de luxo

Em circunstâncias normais, saber de fatos desagradáveis nem sempre é suficiente para mudar nossos hábitos arraigados. No entanto, a pandemia perturbou nossas rotinas diárias a ponto de muitos consumidores aproveitarem a oportunidade para mudar seus hábitos. Como estão saindo menos, esses consumidores precisam de menos roupas e têm tempo para prestar atenção a onde e como suas roupas são produzidas.  Na verdade, como parte de seu programa de reciclagem multimarcas, a  Pesquisa de Beleza Verde do Consumidor da L’Oreal de Hong Kong descobriu que 70% dos consumidores afirmam ter uma atitude mais séria em relação às questões ambientais e que estão dispostos a tomar mais medidas para reduzir o uso de plástico, e uma pesquisa de 2019 conduzida pela Hotwirere descobriu que 47% dos consumidores em todo o mundo abandonaram produtos e serviços de uma marca que violava seus valores. A mensagem dos consumidores é clara; moda sustentável está em alta, moda rápida está fora.

A solução: Ser local. Ser sustentável.

Com os consumidores se concentrando mais na moda local e sustentável, os varejistas precisarão demonstrar que mudaram com o tempo. Varejistas que puderem provar que atendem aos novos padrões de consumo mais éticos serão capazes de prosperar em um mundo mais conscientizado.

Ser uma presença local não significa ter uma loja na esquina perto de seus clientes. Significa fazer com que os consumidores sintam que você faz parte da comunidade deles. Na verdade, localizar sua presença on-line ficou mais importante do que nunca. Mesmo antes do início da pandemia, o E-commerce já estava crescendo rapidamente, e aumentou drasticamente desde então. Com o fechamento de eventos presenciais, semanas da moda inteiras se tornaram digitais, e os varejistas precisam se adaptar, com localização otimizada de E-commerce.

Tornar-se local com a localização de E-commerce

Localização de E-commerce começa com o próprio produto. No caso da moda, isso significa garantir que os produtos oferecidos sejam atraentes localmente. O clima e a cultura locais influenciarão o que seus clientes desejam, e o tamanho padrão pode variar entre os mercados. Para descobrir quais produtos oferecer, é necessário que os varejistas conheçam bem o seu público. A pesquisa de SEO local pode ajudar. Conhecer os termos de pesquisa usados por clientes não só os ajudará a encontrar você, mas também dará a você algumas dicas sobre o que é importante para eles.

Depois de saber o que oferecer, você estará pronto para configurar seu site para os mercados locais. A localização do site tem tudo a ver com detalhes. Fluência no idioma local, descrições de produtos culturalmente relevantes e opções convenientes de pagamento, devolução e contato tornarão mais fácil para os clientes fazerem o que você deseja: observar seus produtos e decidir comprar.

A última etapa na localização do E-comerce é o marketing. Você precisará encontrar seus clientes onde eles já estão. Por exemplo, ao longo dos anos, a, Christian Dior aproveitou as temporadas de compras locais chinesas, como o Dia dos Solteiros, e se tornou repetidamente a primeira marca de artigos de luxo a usar novos recursos na plataforma de mensagens WeChat da China. Esses esforços locais resultaram em uma receita de US$ 21,6 milhões no primeiro semestre de 2020.

Localização de comunicações de sustentabilidade

Mudanças climáticas e direitos humanos são preocupações globais. Mas a comunicação sobre eles ainda precisa de localização. Como em qualquer esforço maior de localização, a primeira etapa é o idioma. Por exemplo, o site da Hugo Boss inclui uma página dedicada aos seus esforços de sustentabilidade. Ele é publicado em alemão e em inglês e inclui valores, realizações e metas mensuráveis claramente delineados. Da mesma forma, a página de sustentabilidade da Ferragamo, disponibilizada em oito idiomas, inclui um cronograma de medidas específicas tomadas por eles nos últimos sete anos e divide os esforços de sustentabilidade da marca em categorias. Eles provam que estão pensando em seus materiais, processos produtivos, funcionários e nas comunidades do entorno.

sustentabilidade na moda de artigos de luxo

No entanto, como em toda localização, a comunicação sobre sustentabilidade deve ir além da tradução. Certificações são uma das maneiras mais reconhecidas de mostrar seu compromisso com a sustentabilidade. Muitos dos padrões mais reconhecidos, incluindo o da Fairtrade, da Rainforest Alliance e o Global Organic Textile Standard, são internacionais. Mas o mais reconhecido na Austrália é o rótulo GECA local, os EUA têm vários rótulos ecológicos domésticos  para uso de energia a Associação das Nações do Sudeste Asiático está atualmente desenvolvendo seus próprios padrões e a UE tem pelo menos outras 13 certificações ativas.

A própria sustentabilidade é local

Deixando de lado a forma como as empresas se comunicam, diferentes elementos da própria moda sustentável têm pesos diferentes nos mercados ao redor do mundo. Para terem sucesso localmente, os varejistas precisam entender quais esforços são mais significativos para consumidores em diferentes partes do mundo. Clima, cultura e história influenciam o que é importante para seus mercados-alvo em diferentes locais.

O mesmo se aplica quando se trata de práticas trabalhistas éticas. Por exemplo, quando a loja de departamentos Selfridge’s encerrou suas atividades em março de 2020, a empresa também anunciou que continuaria pagando aos funcionários. Como um ícone britânico, salvaguardar o bem-estar de seus funcionários locais era fundamental. Enquanto isso, nos Estados Unidos, o crescimento do movimento BLM – Black Lives Matter – chamou a atenção para a falta de diversidade na publicidade e nas contratações em empresas como a Anthropologie. Para satisfazer seus clientes americanos cada vez mais conscientes do racismo, e que exigiam tratamento ético e representação justa, seria preciso que dinamizassem suas práticas de contratação e marketing.

compras locais - localização de varejo e E-commerce

Ultrapassando os padrões

Os consumidores estão examinando mais atentamente do que nunca o que acontece nas coisas que compram. No entanto, também estão mais alertas em relação às pessoas de quem compram. Empresas cujos CEOs expressaram racismo e homofobia podem perder negócios, mesmo quando esses valores são irrelevantes para o produto ou para sua produção. Por outro lado, as marcas aprenderam a ganhar a lealdade do cliente com contribuições onde é necessário, mesmo quando sua contribuição é irrelevante para seus produtos. Por exemplo, o programa Chime for Change, da Gucci apoia causas educacionais na África e na Ásia, enquanto a Women’s Initiative, da Cartier, promove mulheres empresárias de todo o mundo.

Certo para o mundo. Certo para a empresa.

Criar um modelo de negócios eticamente e ecologicamente sustentável é a coisa certa a fazer. É também a única opção financeiramente viável a longo prazo. Marcas em todos os setores econômicos precisam trabalhar em prol da sustentabilidade e, então, precisam promover seus próprios esforços, comunicando o trabalho que fazem aos clientes em seus próprios idiomas.

Ambas as etapas exigem localização. Depois que descobrir quais iniciativas de sustentabilidade são as mais importantes nos mercados em que opera, você estará pronto para encontrar a melhor maneira de passar a mensagem.

Pronto para dar os primeiros passos com a localização?
iniciar

You may also enjoy

Entre em contato

Quer incorporar sua presença em novos mercados mundiais de forma nativa? Fale com um representante hoje e discuta o BLEND perfeito de serviços de localização.